Maria Inês Fini rebateu críticas sobre o aumento do valor para inscrição no exame, que subiu de R$ 68 para R$ 82.

A presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Maria Inês Fini, justificou o aumento da taxa de inscrição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que passou de R$ 68 para R$ 82. Segundo ela, o dinheiro arrecadado não cobre “nem um terço do custo do exame”.

“O MEC [Ministério da Educação] subsidia grande parte do exame e continuará fazendo isso. A taxa deste ano foi apenas corrigida em 14% de IPCA de anos anteriores que não foram aplicados e 6% deste ano”, diz Maria Inês.

Ela também menciona que “pouca gente que paga [a taxa de inscrição], a maioria se beneficia da isenção”. De acordo com o edital do Enem 2017, não precisarão pagar a taxa: estudantes de escolas públicas concluintes do ensino médio em 2017, candidatos com renda familiar per capita igual ou inferior a um salário mínimo e meio e pessoas que cursaram o ensino médio completo em escola da rede pública ou como bolsista integral de escola privada.

Neste ano, também passar a ser isentos aqueles que tiverem cadastro no CadÚnico (Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal), que reúne famílias em situação de pobreza e pobreza extrema. Para comprovar o dado, o candidato deverá informar, no ato da inscrição, o NIS (número de identificação social) – o sistema permitirá a busca automática.

Custo por aluno

No Enem 2016, o custo por aluno foi de R$ 92. Não há ainda estimativa sobre a atual edição do exame. “Estamos esperando propostas dos correios, dos consórcios e das gráficas”, diz a presidente do Inep.

Destaques do Enem 2017

  • Prazo de inscrição começa em 8 de maio e vai até 23h59 de 19 de maio.
  • Taxa de inscrição subiu de R$ 68 para R$ 82
  • Boleto precisa ser pago até 24 de maio
  • Provas serão em dois domingos: 5 de novembro (linguagens, ciências humanas e redação, com cinco horas e meia de prova) e 12 de novembro (matemática e ciências da natureza, com quatro horas e meia de prova)
  • Cadernos de prova serão personalizados, com nome do participante na capa e cartão de respostas
  • Participante ainda terá que preencher a “frase da capa” do caderno de questões
  • Isenção: Estudante da rede pública (no terceiro ano do ensino médio), pessoas cadastradas no CadÚnico e candidato que se encaixa na Lei 12.799/2013.
  • Isentos que não comparecem perdem direito ao benefício no ano seguinte se a ausência não for justificada por meio de atestado médico, documento oficial judicial ou, ainda, por meio de boletim de ocorrência.
  • Enem não valerá como certificado do ensino médio.
  • Solicitação de tempo adicional para atendimento especial deve ser solicitada na inscrição.
 (Foto: Editoria de Arte/G1)

(Foto: Editoria de Arte/G1)

Compartilhe com amigos
Receba as atualizações do Deputado 
direto em seu email




Deixe uma resposta