Óleo nas praias
Óleo nas praias

Óleo nas praias

Na semana passada voltaram a aparecer novas manchas de óleo, tanto na Bahia, como em outras partes do litoral nordestino. Dessa forma, não somente o trabalho dos pescadores está prejudicado, como a economia e o turismo da região. Em Pernambuco, por exemplo, a Praia de Carneiros, uma das mais famosas do estado, também foi prejudicada.

A situação de trabalhadores que vivem diretamente da pesca, no Nordeste, é dramática. Segundo a Bahia Pesca, 13.375 pescadores e marisqueiros foram afetados pelo óleo nas praias. “É revoltante”, enfatizou o deputado Bacelar (Podemos-BA).

Mais manchas

No último sábado, 19, dois importantes destinos turísticos da Bahia foram atingidos: Itacaré e Ilhéus. Em Ilhéus, manchas de óleo chegaram à frequentadíssima praia de Olivença. Em Itacaré, nas praias de Itacarezinho, Tiririca e Resende. Para quem conhece, são praias que atraem turistas de todas as partes do país e do mundo.

Danos ambientais

Cientistas já consideram que há danos ambientais invisíveis e que eles serão permanentes. Segundo o biólogo Clemente Coelho Júnior, em entrevista à Folha de São Paulo com o tempo, o petróleo fica mais denso e libera metais pesados e outras substâncias prejudiciais à vida marinha.

Voluntários

A união do povo nordestino para retirar o óleo das praias tem chamado a atenção, principalmente, na Bahia. Até os surfistas vêm atuando no combate às manchas de óleo. Eles chegaram a reunir cerca de 500 pessoas nesse trabalho.

Inação do governo

No entanto, Jair Bolsonaro e o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, têm sido criticados por não ter realizado intervenção mais contundente para enfrentar o problema. Já existem, inclusive, algumas ações judiciais contra o Governo Federal. “É um crime ambiental de grandes proporções. A sociedade, o meio ambiente, o turismo, a economia, o país inteiro clama por medidas eficazes que parecem ser ignoradas por nossos governantes” finalizou Bacelar.  

Compartilhe com amigos
Receba as atualizações do Deputado 
direto em seu email




Deixe uma resposta