Em visita a sede da Fecomércio BA, na tarde desta quinta-feira (8), Bacelar, candidato à prefeitura de Salvador pelo Podemos, se reuniu com o presidente, Carlos de Souza Andrade, e com a diretoria geral do sistema S (Sesc, Sesi e Senai). Na pauta, geração de emprego, renda e o plano de retomada da economia para o período de pós-pandemia. O desemprego está altíssimo e a economia parada. O isolamento social dificultou a vida de todos, inclusive, dos empresários soteropolitanos. Temos que corrigir isso antes que a população comece a morrer de fome”, disparou.

Entre as propostas apresentadas está a criação de cooperativas de créditos, créditos participativos, bancos comunitários e incentivo à projetos inovadores. Segundo Bacelar, a intenção é recuperar os pequenos comerciantes que foram obrigados a fecharem as portas por causa da pandemia. “Queremos que os micro e pequenos empresários voltem a produzir, gerar emprego, renda. Ou seja, que o capital dos bairros comece a circular”, enfatizou.

Outro ponto destacado pelo candidato foi a criação da “moeda social”. Um microcrédito que poderá ser usado para melhorias, reformas de pequenos negócios locais e moradias. A economia particular vai funcionar da seguinte forma: o morador de um determinado bairro troca o dinheiro oficial, no caso o Real, pela “moeda social”, mas só poderá usar este crédito em estabelecimentos comerciais previamente cadastrados.

Bacelar explica que o objetivo é oferecer solidariedade à economia local e a possibilidade de um novo modelo de negócio. “Atualmente já existem, inclusive, experiências de moeda social virtual, como o e-dinheiro. Queremos que, por exemplo, que o dono de uma lojinha de material de construção da periferia seja o fornecedor da obra de seu vizinho”, concluiu.

Carlos Andrade se mostrou interessado nas propostas apresentadas por Bacelar e afirmou que a situação econômica preocupa os dirigentes locais. “Tivemos uma baixa de – 6,37 mil pontos de venda no primeiro trimestre deste ano. Estamos preocupados, mas as saídas encontradas neste plano de governo são completamente viáveis e vão dar certo”, disse.
Durante a conversa, Carlos Andrade pediu o apoio de Bacelar, junto ao governo do estado, na criação de um projeto de lei que prevê um programa de pagamento e parcelamento de créditos tributários relacionados com o ICM e ICMS, vencidos até 31 de julho. “Pedimos que Rui Costa apresentasse à Assembleia Legislativa este PL, mas até agora não aconteceu. Por isso, precisamos do seu apoio” completou.

O podenista se comprometeu em articular junto com governador para que esta solicitação, feita pela Federação em setembro deste ano, saia do papel. “Vou marcar uma reunião com Rui para cuidarmos de nossos empresários”, finalizou.

Compartilhe com amigos
Receba as atualizações do Deputado 
direto em seu email




Deixe uma resposta