O deputado federal Bacelar (Podemos), candidato a prefeito de Salvador, afirmou que já está articulando junto ao Congresso Nacional para garantir que os recursos do Novo Fundeb não sejam desviados. O governo de  Jair Bolsonaro anunciou que pretende usar 5% novo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação e de precatórios para bancar o Renda Cidadã, programa que vai substituir o auxílio emergencial e o Bolsa Família.
 
O podenista reconhece a importância do programa social, mas afirma que retirar recursos da educação é irresponsabilidade é inadmissível. “Custear programa de governo com recursos da educação é desvio de finalidade. Reconheço a importância da transferência de renda, mas o investimento tem que vir da assistência social”, afirmou.
 
Bacelar ressalta que no caso do Fundeb, a realocação apresentada pelo governo, equivale a retirada de 8 bilhões de reais por ano. Os cálculos foram feitos baseados nos valores de hoje. Segundo ele, a estimativa é que, 2,7 mil municípios e 17 milhões de alunos sejam afetados com a perda dos recursos. “É quase metade dos 39 milhões de alunos que a rede pública brasileira atende na educação básica”.
 
O parlamentar relembra que esta não é a primeira vez que o governo Bolsonaro tenta tirar os recursos do Fundeb. Em julho, durante a votação da PEC no Congresso, o governo fez algumas manobras para adiar o início da vigência do Fundeb para 2022. ”Infelizmente a educação não é prioridade para este governo irresponsável. Aprovamos a permanência do fundo, aumentamos a complementação da União. Trabalhamos muito nessa pauta e, agora, querem destruir isso. É inconstitucional!”, finalizou.

Compartilhe com amigos
Receba as atualizações do Deputado 
direto em seu email




Deixe uma resposta